Tratamento europeu faz reduzir a próstata sem cirurgia

foto certa

Uma nova terapia, anunciada esta semana na Europa pode evitar que milhares de homens tenham que fazer cirurgia da próstata.

A nova técnica usa partículas de plástico para bloquear o suprimento de sangue e encolher a glândula aumentada. Tudo sem operação.

É a embolização da artéria prostática, que pode adiar, ou até substituir em grande parte a cirurgia como o tratamento padrão.

A pesquisa, que teve sucesso em Portugal está sendo agora acompanhada no Reino Unido. Se for bem sucedida poderá usada no serviço de saúde da Inglaterra, o NHS.

Duzentos pacientes do Guy’s Hospital em Londres e outras 16 clínicas estão envolvidos na pesquisa britânica, que é parcialmente financiada pelo observatório clínico NICE.

A equipe portuguesa apresentou suas conclusões esta semana na Sociedade de Radiologia Intervencionista em Washington DC e concluiu que o procedimento é tão eficaz quanto a cirurgia e os benefícios podem durar alguns anos.

A terapia

A técnica foi testada em 1.000 homens de meia-idade em Portugal.

Realizado com anestesia local, o procedimento envolve a injeção de centenas de grânulos de plástico de 0,2 mm em uma artéria na virilha.

As pérolas são dirigidas com um tubo fino para os vasos sanguíneos que fluem para a próstata, bloqueando o suprimento de sangue para a glândula aumentada para que ele encolha.

João Martins Pisco, que liderou o estudo no Hospital São Luís de Lisboa, afirmou: “Dentro de cinco anos penso que isto substituirá a cirurgia como o tratamento padrão.

“Embolização da artéria prostática dá aos homens uma opção de tratamento que é menos invasiva do que outras terapias e lhes permite voltar à sua vida normal mais cedo.

A equipe de Pisco viu uma taxa de sucesso de 89 por cento seis meses após a cirurgia, 82 por cento de sucesso até três anos, e 78 por cento além de três anos.

Apenas dois pacientes no estudo de sete anos tiveram efeitos colaterais clínicos.

Dr Pisco acrescentou: “Tive nove bebês nascidos de homens que foram capazes de continuar sua vida sexual depois de ter o tratamento”.

O Dr. Nigel Hacking, que lidera o estudo, disse: “É muito encorajador. Estou sempre cauteloso sobre novas técnicas, mas este procedimento parece ser promissor e parece ser seguro.

Louise de Winter da Urology Foundation disse: “Esta pesquisa é muito emocionante.
Estima-se que 45.000 homens sejam submetidos a cirurgia de próstatas aumentadas a cada ano no Reino Unido.

Dr. Pisco afirma que a maioria destes poderia ser substituída por embolização da artéria prostática – embora outros dizem que o procedimento menos invasivo não é adequado para todos os homens, e muitos terão de continuar a ter cirurgia

O problema

Metade dos homens com mais de 50 anos sofrem de aumento da próstata e todos os anos 45.000 têm que fazer cirurgia para remover parte dela.

Além de ser dolorosa e invasiva, a operação pode causar perda de função sexual e até incontinência.

Uma próstata aumentada pressiona na bexiga e também bloqueia a uretra.

Isso significa que os pacientes precisam ir repetidas vezes ao banheiro à noite e muitas vezes descobrem que não conseguem urinar.

Isso pode levar a um acúmulo de toxinas que causam problemas renais graves.

Cirurgia futura

O Dr. Hacking disse em sua pesquisa que cerca de 40 por cento dos pacientes que têm embolização mais tarde têm de se submeter a operações.

Mas ter embolização inicial pode permitir-lhes adiar essa operação, mantendo a função sexual, e isso geralmente significa que quando eles vêm para ter uma operação é menos invasiva e há um menor risco de efeitos colaterais.

“Mesmo que eles precisem voltar e ter uma cirurgia é uma operação menor”, afirmou.

Com informações do DailyMail

Compartilhar...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+