Chuva de estrelas cadentes é hoje: até 200 meteoros por hora
Publicado por: Marumbi Web Em: 15 Aug 2016 |

Prepare-se: este mês teremos duas chuvas de estrelas cadentes: a chuva das ‘Perseidas’ e a das Aquáridas.

O ponto alto do fenômeno de Perseidas será nesta sexta, 12 de Agosto, mas ele poderá ser visto até ao dia 24 de agosto.

“Este ano a chuva Perseidas terá o que chamamos de ‘outburst’… sua taxa [de meteoros] irá dobrar” , afirma Bill Cooke, especialista em meteoros da NASA.

Geralmente, essa chuva chega a gerar 80 meteoros por hora durante seu pico, mas Bill Cooke diz que a chuva de meteoros Perseidas 2016 poderá surpreender: são esperados cerca de 200 meteoros por hora!

O motivo? Ele explica que estamos alcançando uma quantidade grande de material deixado pelo cometa Swift-Tuttle.

O radiante (região do céu onde os meteoros parecem se originar) encontra-se na constelação de Perseus, daí a origem do nome.

Essa constelação é melhor avistada do hemisfério norte, mas isso não significa que essa chuva não poderá ser observada do hemisfério sul.

Quanto mais ao norte estiver o observador, mais meteoros poderão ser avistados. De qualquer forma, os meteoros da chuva Perseidas poderão surgir em todas as direções do céu.

Transmissão ao vivo

Se o céu estiver nublado, ou se chover na sua região, será possível acompanhar o fenômeno pela internet.

O site Galeria do Meteorito promete transmitir ao vivo o evento na sexta-feira, dia 12.

Aquáridas

Também será possível observar, até 23 de Agosto, a chuva das Aquáridas, menos significativa do que a das Perseidas.

Como sempre, os especialistas recomendam locais afastados das luzes das cidades para enxergar melhor o fenômeno astronômico.

As chuvas de estrelas cadentes são cientificamente chuvas de meteoros.

Os meteoros são fenómenos luminosos resultantes da entrada na atmosfera da Terra de um corpo sólido proveniente do Espaço.

O corpo aquece, ioniza a atmosfera e deixa um rasto de luz. A descida até à terra costuma desfazer os meteoros em pedaços minúsculos, razão pela qual raramente causam danos.

No caso das Perseidas, a chuva ocorre devido à passagem da Terra pela órbita do cometa “Swift-Tuttle”, que ocorre todos os anos.

Já as Aquáridas estão ligadas à passagem pelo rasto de poeira do cometa “Halley”.