Cantora lírica brasileira é aprovada no The Voice UK

cantoralirica

O mais difícil ela já conseguiu: ser aprovada nas seletivas da competição. E pela segunda vez.

Agora, a cantora lírica Gisele Afeche – de Santos, litoral sul de São Paulo – precisa de recursos para bancar sua viagem e não perder essa segunda chance – no ano passado, a cantora desistiu por não ter como custear a empreitada.

Gisele está fazendo uma vaquinha virtual pra ir ao The Voice UK, a versão britânica do programa musical criado pela fábrica holandesa de realities Endemol.

Aos 50 anos, ela está confiante: “Valeu a pena viver meus 50 anos pra chegar num dia como esse, um dia em que sinto que tudo vale a pena!”, comemora Gisele pelo Facebook.

Antes de participar das audições às cegas – quando cantará para os jurados Boy George, Paloma Faith, Ricky Wilson e Will.I.Am -, ela precisa ser aprovada em mais duas etapas.

Primeiro, precisa cantar à capela para os produtores e, em seguida, fazer uma apresentação convencional, com o apoio de instrumentos. “Se eu chegar nessa fase, penso em cantar e tocar piano ao vivo”, diz.

A vaquinha

Para se apresentar no The Voice, Gisele iniciou uma campanha virtual para arrecadar 4 000 reais, valor que precisa para comprar as passagens.

“Hospedagem, transporte e alimentação ficarão por minha conta. Preciso somente dessa ajuda porque o custo da viagem ficará muito alto”, diz.

A campanha de Gisele ficará no ar até o dia 8 de junho e quem contribuir com a viagem pode ganhar cópia autografada do CD recém-lançado pela cantora.

Para ajudar Gisele acesse o site Kickante.

Se não tiver dinheiro, você pode compartilhar e divulgar a vaquinha.

História

Gisele Afeche é formada pela Universidade de Sorbonne, na França, onde viveu por oito anos. Ela retornou ao Brasil em 2013 e integrou o coral do Theatro Municipal de São Paulo.

Atualmente ela vive em Santos (SP) e trabalha na divulgação do disco Mosaicos, lançado em 2015.

“Apesar de ser cantora lírica, eu gosto de todos os estilos e comecei a compor músicas com uma pegada de pop e MPB”, comenta.

Para o programa britânico ela pretende fazer uma mescla de suas habilidades no canto erudito com o estilo pop.

“Nesta etapa, eu não posso cantar nada autoral, tem que ser alguma música conhecida. Eu já escolhi o que irei cantar, mas não posso falar nada até saber se fui aprovada.”

Vamos dar uma força, né?

Compartilhar...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+